Livro

LANÇAMENTO !!! Meu livro “Informática para Concursos – Teoria e Questões”, 3a edição, editora FERREIRA.

Link: https://www.editoraferreira.com.br/1/47/176/224/editora-ferreira/livros/informatica-para-concursos/

30 de abril de 2007

O que seria isso “malware” ? Rúbia - São Paulo/SP

Na questão n° 53, da prova para técnico da Receita Federal (Prova 1, 2006, área tributária e aduaneira), há afirmação acerca de “malware”, o que seria isso? Grata
Ok, "Malware" é um termo geral normalmente aplicado ao nos referir-mos a qualquer software desenvolvido para causar danos em computadores, servidores ou redes de computador, e isso independentemente de o software ser um vírus, um spyware, etc. Portanto qualquer software, por exemplo um trojan, ou mesmo um worm, etc são denominados de "malware", o que informa que esses são software que causam MAL a um equipamento, software ou arquivo de dados de um usuário. Obviamente temos que sempre levar em conta os reais níveis de criticidade e risco a segurança causado por cada um dos grupos de malware. Com certeza um Spyware é muito menos perigoso (e seus fabricantes alegam que não levam nenhum risco!) que um vírus, trojan ou worm.

29 de abril de 2007

Memória Flash ROM ou FEPROM ? Yvane - Mossoró/RN

FEPROM (FLASH ERASABLE PROGRAMMABLE READ ONLY MEMORY)Tipo de memória não volátil similar à EEPROM, mas onde o apagar só pode ser feito em blocos ou no chip completo.EEPROM (ELECTRICALLY ERASABLE PROGRAMMABLE READ ONLY MEMORY)Dispositivo de armazenamento não volátil que usa uma técnica de anulação ou reprogramação de bytes ou words electricamente, durante a operação normal do sistema. Em contraste com a RAM, a escrita demora mais tempo do que a leitura, para não falar de um custo maior e de uma maior densidade. É apropriada para o armazenamento de pequenas quantidades de dados cuja alteração não é frequente (ex: configuração do hardware).Portanto, Memória Flash ROM é tipo de memória ROM que pode ter seus dados apagados e escritos novamente pelo fabricante, isto não "transforma" uma memória ROM em RAM. FEPROM similar à EEPROM. Então a Memória Flash ROM não é FEPROM, cuidado c/ as definições.

28 de abril de 2007

O que é DVD ? Juliana Granville Curitiba/PR

É um tipo de mídia para armazenamento de dados ou para ser usado em aplicações multimídia. Do mesmo tamanho que um CD comum, o DVD surpreende logo de início por sua alta capacidade de armazenamento dados, feito possível graças a algumas técnicas no processo de gravação.Todos os esquemas e normas de desenvolvimento do DVD são mantidos pelo grupo DVD Forum (www.dvdforum.org), entidade formada pelas principais companhias que atuam nesse mercado. A maioria delas são indústrias de eletrônicos.No início de seu desenvolvimento, a intenção dos fabricantes era conseguir mercado voltado às aplicações de vídeo, até então dominada pelas tradicionais fitas VHS. Com isso, o DVD conseguiu obter sucesso rapidamente, mas enfrentou vários problemas também: os primeiros DVDs (com 4,7 GB, conhecidos por DVD-5) produzidos foram testados em vários modelos de equipamentos, de diversos fabricantes e apresentaram alguns problemas relacionados com a qualidade de vídeo. Dependendo da marca, o disco nem era lido.Graças aos problemas iniciais, melhorias foram sendo disponibilizadas, até que os fabricantes começaram a ter expectativa de que os CDs fossem perdendo espaço no mercado e o DVD começasse a tornar-se um padrão definitivo de armazenamento e para aplicações de vídeo, o que vem ocorrendo de forma progressiva.

27 de abril de 2007

Os tipos de DVD? Juliana Granville Curitiba/PR

O DVD (Digital Versatile Disc ou Digital Video Disc) tirou, com merecimento, o lugar das tradicionais fitas VHS em aplicações de vídeo. Com os custos cada vez menores dos gravadores e mídias, agora é a vez dos CDs graváveis e regraváveis (CD-R e CD-RW, respectivamente) perderem parte de seu mercado. O problema é que, ao contrário do que acontece com os CDs, os DVDs possuem vários tipos de mídia. Veja os mais comuns::: DVD-ROMO DVD-ROM é o tipo mais comum, pois é usado, por exemplo, para armazenar filmes. Assim como um CD de programa ou de música, já vem com seu conteúdo gravado de fábrica. Não é possível apagar ou regravar dados nesse tipo de DVD.:: DVD-RAMEste é um tipo de DVD gravável e regravável. Sua principal vantagem em relação aos outros padrões é sua vida útil: um DVD-RAM suporta mais de 100 mil gravações, sendo muito útil para backups (cópias de segurança) periódicos. Além disso, esse tipo de DVD geralmente pode ser usado sem um programa de gravação, como se fosse um HD.Os primeiros DVDs do tipo possuíam 2,9 GB de capacidade e ficavam dentro de uma capa protetora, devido a sensibilidade da mídia à sujeira e a marcas de dedo. Versões seguintes surgiram oferecendo capacidade de gravação de 4,7 GB à 9,4 GB, não necessitando mais de tal capa.:: DVD-REste tipo é um dos que tem maior aceitação nos mais diversos aparelhos. É a melhor opção para a gravação de filmes, pois é aceito por praticamente todos os DVD-players, com exceção para alguns dos primeiros modelos. O DVD-R, assim como o seu antecessor CD-R, só aceita gravação uma única vez e, após isso, seus dados não podem ser apagados. Sua capacidade de armazenamento padrão é de 4,7 GB.:: DVD+REste tipo é equivalente ao DVD-R, inclusive na capacidade de armazenamento, que é de 4,7 GB. O DVD+R também só pode ser gravado uma única vez e não permite a eliminação de seus dados. O que o DVD-R tem de diferente do DVD+R, então? Pouca coisa, sendo a principal diferença o fato dos dados gravados em um DVD+R serem mais rapidamente acessados do que em um DVD-R, característica proveniente do processo de fabricação deste último, que é ligeiramente distinto. Mesmo assim, essa diferença no acesso aos dados é pouco perceptível, pelo menos é o que acusou os testes feitos aqui no InfoWester.:: DVD-RWO DVD-RW é equivalente ao CD-RW, pois permite a gravação e a regravação de dados. A grande maioria dos DVD-players recentes são totalmente compatíveis com DVD-RW, mas exigem que a mídia esteja fechada para executar filmes. Mídia "aberta" significa que você pode inserir dados de maneira gradativa, como em um disquete. Porém, se você fechá-la (isso é feito através do software de gravação), a gravação de novas informações é impossibilitada, sendo necessário formatar o DVD-RW para reutilizá-lo. Assim como seu "irmão" DVD-R, a capacidade de armazenamento padrão do DVD-RW é de 4,7 GB.:: DVD+RWEste formato tem quase as mesmas características do seu rival DVD-RW, inclusive na capacidade de armazenamento, cujo padrão também é de 4,7 GB. No DVD+RW também é necessário fechar a mídia para a execução de filmes em DVD-players. Na prática, sua diferença em relação ao DVD-RW está na velocidade de gravação ligeiramente maior e na possibilidade de uso de tecnologias como "Lossless linking" e "Mount Rainier" que permitem, respectivamente, interromper uma gravação sem causar erros e alterar dados de apenas um setor sem necessidade de formatar o disco.

26 de abril de 2007

Tem outros tipos de DVD? Juliana Granville Curitiba/PR

Há outras tecnologias que são semelhantes ao DVD no mercado. Por exemplo, a Sony utiliza uma mídia denominada UMD (Universal Media Disc) em seu console PSP (PlayStation Portable). Porém, há dois padrões que merecem destaque porque podem ser os substitutos do DVD de maneira definitiva: o HD DVD e o Blu-Ray. Abaixo, uma descrição breve de ambas as tecnologias::: HD-DVDO HD-DVD (High Definition Digital Versatile Disc) foi desenvolvido graças ao trabalho conjunto de várias empresas, entre elas Toshiba e Microsoft. Sua capacidade padrão de armazenamento de dados é de 15 GB (ou 4 horas de vídeo em alta definição) ou 30 GB, no caso de mídias com duas camadas. Como o próprio nome indica, seu uso é apropriado para aplicações de vídeo com alta qualidade de imagem.A tecnologia HD-DVD é tido como um dos possíveis sucessores do DVD pelos seguintes motivos:- É aprovado pelo consórcio DVD Forum;- A estrutura de um HD-DVD é semelhante ao de um DVD convencional, inclusive na espessura da camada de gravação, que é de 0,6 mm, barateando os custos de fabricação;- O HD-DVD tem melhor proteção contra cópias, para a alegria de Hollywood.:: Blu-RayA tecnologia Blu-ray foi desenvolvida pela Blu-ray Disc Association (DBA), entidade formada por empresas como LG, Pionner, Sony, Samsung, Dell e HP. Assim como o HD-DVD, tem grande potencial para ser o substituto natural do DVD. Seu principal diferencial é sua capacidade de armazenamento de dados: 25 GB em uma única camada, equivalente a 6 horas de vídeo em alta definição.O nome dessa tecnologia é oriundo de seu laser de 405 nanômetros (o DVD utiliza laser de 650 nanômetros, aproximadamente) de cor violeta, que permite gravar mais dados em uma mídia do mesmo tamanho de um CD, já que o feixe é mais fino. A denominação "Blu-ray" faz referência ao termo "raio azul". Na verdade, azul em inglês é blue, mas a letra "e" foi retirada do nome porque em alguns países a expressão "blue ray" é comumente usada, sendo proibido registrá-la.

25 de abril de 2007

Pq. há tantos tipos de DVD? Juliana Granville Curitiba/PR

A resposta, em poucas palavras, está em uma disputa entre duas entidades: DVD Forum e DVD+RW Alliance.O consórcio DVD Forum é formado por gigantes como Time Warner, Pionner e Toshiba para apoiar as especificações dos padrões DVD-ROM, DVD-RAM, DVD-R e DVD-RW. Por sua vez, o consórcio DVD+RW Alliance (ou DVD Alliance) foi constituído inicialmente por empresas como Dell, HP e Sony para apoiar outros padrões de DVD, cuja diferenciação é feita pelo sinal de positivo nos nomes (DVD+R e DVD+RW) e pelo uso do termo "Double Layer" nas mídias com duas camadas.O DVD Forum detém os direitos sobre o logotipo da tecnologia DVD, razão pela qual os fabricantes de DVD+R e DVD+RW não inserem essa imagem nas embalagens de tais produtos. Todavia, algumas dessas empresas exibem um logotipo com os dizeres RW em tais mídias, mesmo naquelas que são somente graváveis (DVD+R), o que pode gerar confusão.Os dois grupos começaram a disputar mercado, cada qual defendendo seus formatos. Isso fez com que alguns fabricantes disponibilizassem gravadores de DVDs compatíveis apenas com DVD-R/RW e outros o fizessem somente para os formatos DVD+R/RW.Quem venceu essa disputa? Ninguém. Todos os padrões oferecidos acabaram sendo bem aceitos. Eis a razão da existência de tantos formatos. Como as empresas não demoraram a se dar conta disso, é cada vez mais comum encontrar gravadores de DVD compatíveis com todos os formatos (o que fez com que a maior parte de tais companhias apoiasse os dois consórcios). Para evitar problemas de incompatibilidade, é recomendável adquirir esse tipo de aparelho.

24 de abril de 2007

A tecnologia Dual Layer ? Juliana Granville Curitiba/PR

Se você acha que 4,7 GB de capacidade em um disco como o DVD é muita coisa, saiba que é possível ter quase o dobro com tecnologias como Dual Layer e Double Layer.Um DVD que tenha Dual Layer (também conhecido como DVD-9) é capaz de armazenar 8,5 GB de dados por padrão. Isso é possível graças à aplicação de duas camadas de dados em um único lado da mídia. Para isso, uma camada é feita de um material que dá efeito de "semi-transparência", permitindo que o laser do aparelho consiga acessar a segunda camada "atravessando" a primeira.A tecnologia Dual Layer estava disponível apenas em DVDs graváveis, isto é, em DVD-R e em DVD+R. Havia rumores de que o mesmo aconteceria com mídias regraváveis (DVD-RW e DVD+RW), mas não foi confirmado.

23 de abril de 2007

A tecnologia Double Layer? Juliana Granville Curitiba/PR

Há quem pense que mídias Double Layer são aquelas que permitem gravação em ambos os lados do DVD. Porém, isso é um engano. Mídias assim são denominadas "double side" ou "face dupla".A tecnologia Double Layer é, na verdade, equivalente ao padrão Dual Layer. O que acontece é que o primeiro tipo é a denominação padrão do DVD-R que possui tal tecnologia (também chamados de DVD-R DL). O segundo, por sua vez, é aplicado em mídias DVD+R.

22 de abril de 2007

"Mas os marca como arquivos que passaram por backup" o significa? Juliano – Araçatuba/SP

Estou estudando aquela parte de backup do windows, copia, normal, diferencial, incremental e diário. Gostaria de saber, qual é a diference do backup que marcar o arquivo como backup e o outro que não marcar como backup, pois assim acredito q vou conseguir diferenciar melhor o sistema. Pelos testes que fiz, eu consegui entender perfeitamente que os dois são idênticos só preciso entender, porque marcar o arquivo como backup ou não marcar!Obrigado.
Vamos corrigir a definição: arquivo que passou por BK e foi marcado ou não no catalogo de BK.A frase: “Mas os marca como arquivos que passaram por backup“.Significa que o programa de Backup marca no catalogo que passou por BK ou não, com a finalidade de se fazer o controle.Só lembrando o conceito de catalogo vem do computador de grande porte, começou com as fitas DAT. O catalogo tem informações como data, tamanho, tipo, nome, entre outras do arquivo que passou por backup, e essa marcação de controle

21 de abril de 2007

Firmware esta na ROM ou SRAM? Alessandra - Uberlândia/ MG

FCC 2004 TRT PR
Em relação aos componentes básicos de um microcomputador padrão PC é correto afirmar:
B) os programas armazenados em memória ROM recebem o nome de firmware.
Essa alternativa eles consideraram correta por isso fiquei em dúvida, sobre onde fica o firmaware é na ROM ou na SRAM?
Vamos a sua dúvida.Todos os circuitos integrados tem uma parte estática onde é gravado firmware pelo fabricante, é o caso da ROM.A memória RAM tb. conhecida por SDRAM, onde :SRAM (S é de estático fica gravado firmware)+DRAM (D de dinâmico, pois o usuário final está toda hora chamando um programa diferente p/ trabalhar)

20 de abril de 2007

O que é FSB??? Kal Cost - Recife/PE

Olá , Prof. Ana Em primeiro lugar, gostaria de parabenizá-la pela excelente didática de sua aula e pelo altíssimo nível.Encontrei em uma revista as seguinte configurações:

1) Processador Intel Celeron M350 ( Cache L2 de 1024 Kb ;1,3 Ghz ;FSB 400 Mhz ), 256 Mb de memória , 40 GB de HD etc... 2) Processador Intel Celeron D330 ( Cache L2 de 256 Kb ; 2,66 Ghz ; FSB 533 Mhz ) 256 Mb de memória , 40 GB de HD etc... Em termos de processamento , eu acredito que o nr. 2 seja mais rápido, mas tem a questão da memória cache que é bem mais baixa do que o 1.Existe alguma compensação pela memória cache ser mais baixa em 2 pelo processador ser 2 vezes mais rápido que em 1???
CORRETO SEU RACIOCINIO
Qual a melhor configuração??
2
E o que é FSB???
FAST RETRANSMIT AND RECOVERY, É O CAMINHO DOS DADOS E A INTERFACE FÍSICA ENTRE O PROCESSADOR E A MEMÓRIA PRINCIPAL(ram) E TB. A ROTA DE DADOS E A INTERFACE FÍSICA ENTRE O PROCESSADOR E A MEMÓRIA L1 E L2.. C/ ESSE RECURSO O PROCESSADOR EXECUTA MAIS EM UM DETERMINADO NÚMERO DE PULSOS POR SEGUNDO.
Qual das duas máquinas é mais eficaz, em termos de velocidade???
2

19 de abril de 2007

Matriz passiva e Matriz ativa , não entendi ? Lorena Martins - Forteleza/CE

16. As tecnologias denominadas Matriz passiva e Matriz ativa são utilizadas em monitores de vídeo de
(A) CRT colorido ou monocromático.
(B) CRT monocromático.
(C) LCD monocromático.
(D) CRT colorido.
(E) LCD colorido.
Foi considerada correta a letra E. Felizmente, meu chute deu certo.

Existem atualmente duas tecnologias de fabricação de telas de LCD, conhecidas como matriz passiva (DSTN) e matriz ativa (TFT). As telas de matriz passiva apresentam um angulo de visão mais restrito, e um tempo maior é necessário para a imagem ser atualizada. Enquanto num monitor CRT, um ponto demora cerca de 15 a 20 milessegundos para mudar de cor, num monitor LCD de matriz passiva são necessários entre 150 e 250 milessegundos.É por isso que é tão difícil enxergar o cursor do mouse na tela de um notebook antigo, ou mesmo rodar programas ou jogos que demandem mudanças rápidas de imagem de uma forma aceitável. A própria imagem nestes monitores apresenta uma qualidade inferior, devido ao baixo contraste. Felizmente os monitores de matriz passiva são encontrados apenas em equipamentos antigos, não sendo mais fabricados atualmente. Os LCDs de matriz ativa, usados atualmente, já apresentam uma qualidade muito superior, com um tempo de atualização de imagem mais próximo do dos monitores CRT, entre 40 e 50 milessegundos. Isto significa entre 20 e 25 quadros por segundo, o que já é suficiente para assistir a um filme em DVD por exemplo, apesar de ainda atrapalhar um pouco nos jogos de ação, onde a imagem é alterada muito rapidamente. Os monitores de matriz ativa também um maior ângulo de visão e contraste maiores, além de serem mais finos e leves.

18 de abril de 2007

TRE-PB/2007 Com relação aos sistemas operacionais, considere ? Gustavo Michael - João Pessoa/PB

14. Com relação aos sistemas operacionais, considere:
I. Conjunto de programas que gerenciam os recursosdo computador.
Correto.
II. Conjunto de editores de textos e de planihas eletrônicas para automação comercial.
Errado, não são funções do sistema operacional, alguns sistemas ate tem um editor de texto, exemplo: UNIX. Mas não planilha.
III. Conjunto de programas que faz a interface entre ousuário e o computador.
Correto.
É correto o que se afirma APENAS em:
(A) II.
(B) III.
(C) I.
(D) I e II. (Gabarito)
Errado.
(E) I e III. (marquei essa)
Correto.

17 de abril de 2007

O que é TV Digital, profª ? Cristiano - SP/SP

A televisão digital ou TV digital usa um modo de modulação e compressão digital para enviar vídeo, áudio e sinais de dados aos aparelhos compatíveis com a tecnologia, proporcionando assim transmissão e recepção de maior quantidade de conteúdo por uma mesma freqüência (canal) podendo atingir o alvo de muito alta qualidade na imagem (alta definição). Os padrões em operação comercial são capazes de transportar até 19 Mbps. Em termos práticos, isto é o equivalente a um programa em alta definição, que ocupa 15 Mbps, ou quatro programas em definição padrão, que consomem em média 4 Mbps cada. HDTV (High Definition Television) Em sua maior resolução de imagem. Este padrão prioriza a nitidez e qualidade da imagem em detrimento do número máximo de canais a serem transportados em uma mesma freqüência. Atualmente, a resolução HDTV encontra resistência em avançar no mundo, sendo o alto custo da solução um dos principais obstáculos. O HDTV é atualmente utilizado em algumas grandes cidades localizadas em partes dos Estados Unidos, do Japão e de algumas regiões da Europa (para quem dispõe de uma TV com esta tecnologia).

16 de abril de 2007

Qual é padrão da TV Digital no Brasil, profª ? Cristiano - SP/SP

ISDB-T é o acrônimo de Integrated Services Digital Broadcasting Terrestrial - Serviço Integrado de Transmissão Digital Terrestre. É o padrão japonês de TV Digital, apontado como o mais flexível de todos por responder melhor a necessidades de mobilidade e portabilidade. Ele é uma evolução do sistema DVB-T, usado pela maioria dos países do mundo, e vem sendo desenvolvido desde a década de 70 pelo laboratório de pesquisa da rede de TV NHK. No Brasil, foi eleito o melhor nos testes técnicos comparativos conduzidos por um grupo de trabalho da Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão (SET) e da Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), ratificados pela Fundação CPqD.
Em 29 de Junho de 2006 foi anunciado o padrão adotado pelo Brasil na transmissão de TV digital.
O que mais chama atenção no sistema ISDB-T é a sua versatilidade. Além de enviar os sinais da televisão digital ele pode ser empregado em diversas atividades, como: transmissão de dados; receptor para recepção parcial em um PDA e em um telefone celular; recepção com a utilização de um computador ou servidor doméstico; acesso aos sites dos programas de televisão; serviços de atualização do receptor por download; sistema multimídia para fins educacionais. Entrou em operação comercial na região de Tóquio em 2003. Possui um mercado de 100 milhões de televisores. Porém, não é o mais eficaz para recepção móvel e portátil - o DVB-H, por exemplo, possibilita uma redução no consumo de bateria dos dispositivos móveis (celulares, PDAs, etc) que não está presente no ISDB-T.

15 de abril de 2007

Qual os outros padrões que há da TV Digital , profª ? Cristiano - SP/SP

Além do adotado no Brasil que foi o Japones, há mais 2 padrões o Americo e o Europeu. ATSC - Advanced Television System Committee É o padrão norte-americano de TV Digital, desenvolvido a partir de 1987 por um grupo de 58 indústrias de equipamentos eletroeletrônicos. Desde outubro de 98, está em operação comercial nos Estados Unidos. Foi implantado também no Canadá e na Coréia do Sul. Tem um mercado atual de 267 milhões de televisores. Seu desenvolvimento foi pensado para operar com conteúdo audiovisual em alta definição (HDTV). A opção do consórcio ATSC garante a melhor resolução de imagem possível. Ao mesmo tempo, restringe a capacidade de transmissão a um só programa por canal. DVB é a sigla de Digital Video Broadcasting - (Emissão de Video Digital) Conhecido como padrão europeu de TV Digital, foi projetado a partir dos anos 80 pelo consórcio que hoje possui 250 integrantes de 15 países. Desde 1998, está em operação no Reino Unido, tendo chegado a outros quatro países da União Européia e à Austrália. Está previsto para ser implantado na Índia, na Nova Zelândia e cerca de outros 20 países. Detém um mercado atual de 270 milhões de receptores. Trabalha com conteúdo audiovisual nas três configurações de qualidade de imagem: HDTV (1080 linhas), EDTV (480 linhas) e SDTV (480 linhas). Nas duas últimas configurações, permite a transmissão simultânea de mais de um programa por canal, permitindo uma média de 4. No início de sua implantação, apresentou dificuldades de recepção na Inglaterra, sendo sujeito à interferência de ruídos de eletrodomésticos ou motores. É o padrão adotado pelas principais operadoras privadas de TV por assinatura por satélite. Em Portugal tem sido adoptado nos canais pay-per-view de televisão por cabo como alternativa ao sistema analógico.

14 de abril de 2007

O que é Hyper-threading e Dual Core? Elismar Teixeira - Fortaleza/CE

Hyper-threading ou hiper-threading ou hiperprocessamento
É uma tecnologia usada em processadores que o faz simular dois processadores tornando o sistema mais rápido quando se usa vários programas ao mesmo tempo. Esse processo todo rende um acréscimo de até 20% na velocidade dos programas desde que estejam sendo executados simultaneamente. É uma tecnologia desenvolvida pela Intel e foi primeiramente empregada no processador Pentium 4 de núcleo northwood, 64 e 32 bit, e no futuro devera se estender aos processadores da nova geração, de 64 bit´s e núcleo duplo como o Pentium D.
Processador Dual Core
Pode executar várias aplicações diferentes ao mesmo tempo, executando vários Threads simultaneamente de forma independente, um para cada programa executado. Por isso o ganho de desempenho será grande ao trabalhar com multi-tarefa (Multi-Tasking), ou seja, ao executar várias aplicações ao mesmo tempo.

13 de abril de 2007

Nome de site usando Ç, existe? Ângela - Adamantina/MG

Bela pergunta continue assim, por em quanto serão digitados em minusculo e sem acento ou ç, mas leia o texto que saio no Jornal do Estadão de SP em 2/5/2005.
Endereços web no país ganham acento e cedilhaJornalista Renata Mesquita
Uma nova revolução da Internet brasileira começa hoje, e não é obra de nenhum portal ou provedor de acesso.Nem de uma agência de publicidade. O Registro.br, entidade que cuida do registro de domínios web no País, passa a permitir que as empresas que levam vogais acentuadas ou cedilha em seu nome – como o Pão de Açúcar e a Perdigão, entre outras – tenham seus endereços virtuais também do jeitinho que eles são escritos no mundo real. O Estado, por exemplo, terá um site www.estadão.com.br como alternativa ao já conhecido www.estadao.com.br. com o mesmo conteúdo. "As empresas poderão preservar suas marcas.e os internautas poderão digitar o nome da empresa do modo como o conhecem", diz Demi Getschko, diretor de tecnologia da Agência Estado e conselheiro do Comitê Gestor da Internet no Brasil. Os domínios com caracteres alternativos só poderão ser registrados por quem for dono do endereço sem acento preexistente. Significa que nenhum oportunista poderá registrar o www.pãodeaçúcar.com.br no lugar da rede de supermercados,por exemplo. Mas as empresas poderão criar versões diferentes para cada um de seus sites, se quiserem. Outra providência contra golpes é que apenas as letras do nosso alfabeto serão aceitas nos endereços-não adianta querer colocar um caracter cirílico no lugar do seu semelhante em português."Isso vai evitar a criação de sites de phishing e pharming scam (golpes que tentam "pescar" dados confidenciais dos internautas em . páginas web falsas) com endereços semelhantes aos originais", acredita Getschko. Os domínios acentuados só funcionam nas versões mais recentes dos navegadores de internet. Em alguns programas, esse recurso deve ser habilitado antes do uso. Getschko, no entanto, defende que a novidade não seja usada indiscriminadamente pelas empresas. "Aconselho que os endereços de e-mail não sejam alterados, já que quase nenhum programa de correio eletrônico trabalha hoje com endereços acentuados".

12 de abril de 2007

Em relação à fibra ótica, não entendi a questão? Paulo André - Araçatuba/SP

TTN/1994
Em relação à fibra ótica como meio de transmissão é incorreto afirmar:
a- é recomendável para ligações ponto a ponto e multiponto.
b- é imune a ruído eletromagnético
c- sua taxa de transmissão é da ordem de Mbps
d- a atenuação independe da frequência do sinal de luz codificado.
e- a transmissão é realizada pelo envio de um sinal de luz codificado
A dúvida é a seguinte vc disse que a resposta é a alternativa E, mas estudando em casa pelas anotações de sala verifiquei que a fibra ótica é realizada pelo envio de um sinal de luz, gostaria de entender mellhor....não seria incorreta a alternativa A ,
Vc. anotou errado é a alternativa A.
... pois a ligações ponto a ponto e multiponto é para o par trançado e coxial e radio ?
Correto.
outra dúvida tem como me esclarecer a alternativa D?
(d- a atenuação independe da frequência do sinal de luz codificado.)
A atenuação é a perda do sinal na transmissão que só acontece em par trançado, coxial e rádio. Portanto a fibra ótica não sofre com o problema da atenuação e o pacote de dados qdo. passa pela fibra ótica é um sinal de luz codificado, daí a atenuação independe da frequência do sinal de luz codificado.

11 de abril de 2007

Sol interferi no sinal do satélite, como prevenir? - Tiago Palmas /TO

Interferência solar é um fenômeno que ocorre na comunicação por satélites (satellite) em certas ocasiões quando o sinal downlink é alinhado com a posição do Sol, causando um ruído no sinal proporcionado pelo sol. O termo é usado principalmente em referência a sistemas de satélites geoestacionários (GEO). O Sol é um poderoso emissor de energia eletromagnéica de todos os comprimentos de onda (wavelength), incluindo aqueles na porção de microondas (microwave) do espectro de rádio-freqüência (RF), onde muitas comunicações por satélite são efetuadas. Normalmente, o Sol não afeta a recepção de sinal de microondas, pois as antenas de recepção para microondas são raramente apontadas diretamente para o Sol. Mas se uma fonte de sinal e o sol se alinharem, eles competirão, resultando em um sinal defeituoso. Nos equinócios, entre 21 de março e 21 de setembro de todos os anos, o Sol está precisamente sobre o equador da Terra. Os satélites GEO orbitam sobre a linha do equador. Portanto, por cerca de uma semana antes e depois dos equinócios, o Sol alinha-se quase que exatamente com qualquer satélite GEO uma vez por dia para os usuários que vivem na linha do equador. Para os usuários do hemisfério norte, a mesma coisa acontece em algumas semanas antes de 21 de março e após 21 de setembro. No hemisfério sul, o efeito é observado logo após 21 de março e antes de 21 de setembro. A menos que o sinal downlink do satélite esteja excepcionalmente forte, é causado um ruído na RF proveniente do Sol e a recepção é degradada ou interrompida. Após alguns minutos, o Sol passa o satélite e a recepção volta ao normal. . A interferência solar nunca ocorre mais de uma vez por dia em qualquer satélite GEO e apresenta um problema para somente alguns dias do ano. Contudo, isso pode ser frustrante para os usuários de sistemas por satélite. É importante constatar que a interferência solar não é causada por um mau funcionamento no hardware ou na programação dos sistemas.

10 de abril de 2007

O pop-ups seria um hiperlink? NATHAN - Brasília/DF

Não, um pop-up e uma área de interface gráfica (GUI), geralmente uma pequena janela, que parece de repente sobre a interface visual. Os pop-ups podem ser iniciados por um clique simples ou duplo do mouse, quando o usuário passa o mouse sobre uma determinada área (rollover), por meio de um comando de voz ou ate mesmo em urn momento predeterminado por alguem. Uma janela pop-up deve ser menor do que a janela de fundo ou da interface; caso contrário, ela irá substituir a interface.Na World Wide Web, o _JavaScript (e mais raramente os applets Java Java applets) são usados para criar efeitos interativos, incluindo os pop-ups e as janelas de sobreposição.Um menu ou uma barra de tarefas que aparece e desaparece tambem podem ser considerados uma forma de pop-up.Da mesma forma, as caixinhas de mensagens que voce obtem quando move o mouse sobre as barras de tarefas de muitas aplicações do PC podem ser consideradas pop-ups.Agora, pode ser usado p/ essa finalidade.

9 de abril de 2007

Impressora com o padrão 802.11g? Minéia Ribeiro - Acre

Essa questão foi do concurso realizado no dia 02/04/2006 pela cesgranrio, para cargo de técnico do IBGE. Segue a questão.
Uma impressora compatível com o padrão 802.11g:
(A) possui uma placa de rede de 11 Gbps.
(B) imprime 11 páginas por segundo.
(C) tem resolução mínima de 9000 DPI.
(D) é própria para gráficos vetoriais.
(E) pode fazer parte de uma rede sem fio.
A resposta é alternativa E, impressora que não usa cabo, trabalha empregando a rede WI-FI, velocidade 54 Mbps. Norma IEEE 802.11g

8 de abril de 2007

Webmail é igual a outlook ? Evandro - Volta Redonda/RJ

Webmail é um interface da World Wide Web que permite ao utilizador ler e escrever E-mail usando um navegador. Com o surgimento do correio eletrônico em 1972, considerado uma killer application da internet. Começa a necessidade de um mecanismo fácil para comunicação. Em Março de 1972, Ray Tomlinson escreveu o software básico de e-mail para a ARPANET. Em Julho, Roberts expandiu as utilidades do software, colocando utilitários para listar, ler seletivamente, arquivar, encaminhar e responder a mensagens. Killer application - Designa uma aplicação fundamental, neste caso o correio electrónico uma dessas aplicações. A partir deste momento, o correio eletrônico se tornou a maior aplicação de rede até hoje. Este foi o prenúncio do enorme crescimento de todos os tipos de aplicações e utilitários da internet nos dias de hoje. A maior vantagem do webmail é o facto de não ser necessário possuir um programa específico para a leitura ou envio de mensagens de correio electrónico, qualquer computador ligado à internet com um navegador é suficiente. Isto também significa que ao contrário de outros protocolos de comunicação na web, como o POP3 não é necessário utilizar sempre o mesmo computador. No entanto existe o inconveniente de ter as mensagens de correio electrónico armazenadas no servidor de E-mail , o que limita o número de mensagens que podemos armazenar.

7 de abril de 2007

O que é Arquitetura Harvard? Anísia Santana - Brasilia/DF

Arquitetura Harvard de computadores se baseia na separação de barramentos de dados das memórias onde estão as instruções de programa e das memórias de dados, permitindo que um processador possa acessar as duas simultaneamente, obtendo um desempenho melhor do que a da Arquitetura de von Neumann pois pode também estar buscando uma nova instrução enquanto está executando outra.

6 de abril de 2007

O que são dispositivos PEERLESS ? Anísia Santana - DF

O sistema de dispositivos PEERLESS aceita discos de 10 e 20 gigabits. Também oferecem a tecnologia para a identificação baseada em cartões, permite a segurança da informação, proteger tentativas não autorizada para ler o índice de um disco perdido ou roubado. A integração dos cabeçotes de leitura e escrita, que agora vêm completamente selados, evitando a entrada de poeira. Além disso, as novas mídias suportam processos de transferência de dados mais velozes, chegando a atingir a marca de 15 Mbps (com módulo FireWire)

5 de abril de 2007

O que é a letra “s” no protocolo https? Tainá - Salvador/BA

A sra citou sobre aquele "s" no "http"... então...não é que eu ia te perguntar sobre isso!, pois agora preciso de um complemento (sabe, para poder atarrachar na cabeça...). A sra. disse que aquele "s" significa segurança... então...o http://www.orkut.com, aqui é bloqueado. Quando eu coloquei o "s", abriu a página principal. Quando coloquei login e senha mostrou "this URL has been blocked", ou seja, estava bloqueado!!! A sra poderia explicar porque com o "s" abriu a principal e não abriu com login e senha? Só pedi p/ explicar, viu? não é p/ ensinar, não!! (rsrs) Obrigada e grande abraço p/ vc.
OK, o “s” no http é p/ tornar a conexão segura só e não p/ abrir acesso a sua conta, espero que vc. tenha entendida.

4 de abril de 2007

Existe algum tipo de programa que aumenta a velocidade de conexão ? Pedro Augusto - Caldas Novas/GO

Gostaria de saber se existe algum tipo de programa que aumenta a velocidade de conexão na internet, pois participo de alguns fóruns onde se encontram links para download de programas com essa finalidade. Isso é possível ou apenas utopia?
Sim é possível, mas não faz milagre.
Tente, vc. mesmo vai ver que melhora ou não.

3 de abril de 2007

DICA para TJ SP ? Regiane – Araraquara/SP

Edital para Escrevente técnico judiciário (capital e interior de sp) e como previa, o conteúdo programático foi acrescido com 10 questões de informática (CONHECIMENTOS DE INFORMÁTICA – Microsoft Word XP: estrutura básica dos documentos, edição e formatação de textos, cabeçalhos, parágrafos, fontes, colunas, marcadores simbólicos e numéricos, e tabelas, impressão, ortografia e gramática, controle de quebras, numeração de páginas, legendas, índices, inserção de objetos, campos predefinidos, caixas de texto. Microsoft Excel XP: estrutura básica das planilhas, conceitos de células, linhas, colunas, pastas e gráficos, elaboração de tabelas e gráficos, uso de fórmulas, funções e macros, impressão, inserção de objetos, campos predefinidos, controle de quebras, numeração de páginas, obtenção de dados externos, classificação. Microsoft Windows XP: conceito de pastas, diretórios, arquivos e atalhos, área de trabalho, área de transferência, manipulação de arquivos e pastas, uso dos menus, programas e aplicativos, interação com o conjunto de aplicativos Microsoft Office. Navegação Internet, conceitos de URL, links, sites, impressão de páginas.
Quais são as dicas p/ esse prova, que ocorrerá dentro de 2 meses?
É simples, vai baixar p/ sua máquina as provas da CESPE-UNB, de: BB, CEF, PF, PRF, IBAMA, etc. do site www.pciconcursos.com.br , imprimir informática e resolver sem olhar p/ o computador, depois olhar gabarito r fazer todas na máquina, mesmo tenho acertado.
Caso não conheça algum programar colocar alguém do seu lado na frente do computador e vc. pilota a máquina e a pessoa ajuda.
Os programas onde dá p/ marcar mais ponto são: word, windwos.
Ainda, no edital que vc. mandou: " ...Navegação Internet, conceitos de URL..."
Está muito superficial, então estude tudo sobre rede, o examinador deve dividir a prova em 4 questões de REDE e 6 programas comerciais.
Pode ate colocar mais de rede.

2 de abril de 2007

Para seu conhecimento: "Engenharia Social"

Método de ataque onde uma pessoa faz uso da persuasão, muitas vezes abusando da ingenuidade ou confiança do usuário, para obter informações que podem ser utilizadas para ter acesso não autorizado a computadores ou informações.

1 de abril de 2007

Na internet, um (FQDN) está sempre associado a um endereço IP eu achava que era ao URL? Elismar - Brasília/DF

Não, FQDN (Fully Qualified Domain Name) nome de domínio completo, tudo aquilo que está à direita do símbolo @ num endereço eletrônico, sem que se omita qualquer parte (inclui geralmente a designação do pais, da instituição e de um computador, pelo menos).